Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

o sítio do conguito

deambulações pela net, palavras, imagens, sons, coisas estranhas... enfim, eu.

Passo 1:
Trocamos a Madeira e os Açores pela Galiza, mas os espanhóis têm que levar
o Sócrates.

Passo 2:
Os galegos são boa onda, não dão chatices e ainda ficamos com o dinheiro
gerado pela Zara (é só a 3ª maior empresa de vestuário).
A indústria têxtil portuguesa é revitalizada. A Espanha fica encurralada
entre os Bascos e o Sócrates.

Passo 3:
Desesperados, os espanhois tentam devolver o Sócrates. A malta não aceita.

Passo 4:
Oferecem também o Pais Basco. A malta mantem-se firme e não aceita.

Passo 5:
A Catalunha aproveita a confusão para pedir a independência.
Cada vez mais desesperados, os espanhois devolvem-nos a Madeira
e os Açores e dão-nos ainda o Pais Basco e a Catalunha.
A contrapartida é termos que ficar com o Sócrates.
A malta arma-se em difícil mas aceita.

Passo 6:
Damos a independência ao País Basco.
A contrapartida é eles ficarem com o Sócrates.
A malta da Eta pensa que pode bem com ele e aceita sem hesitar.
Sem o Sócrates Portugal torna-se um paraíso e a Catalunha não causa
problemas.

Passo 7:
Afinal a Eta não aguenta o Sócrates, e o País Basco pede para se
tornar território português. A malta faz-se difícil mas aceita (apesar
de estar lá o Sócrates).

Passo 8:
Fazemos um acordo com o Brasil. Eles enviam-nos o lixo e nós
mandamos-lhes o Sócrates.

Passo 9:
O Brasil pede para voltar a ser colónia portuguesa. A malta aceita e
manda o Sócrates para os Farilhões das Berlengas apesar das gaivotas
perderem as penas e as andorinhas do mar deixarem de pôr ovos.


Passo 10:
Com os jogadores brasileiros mais os portugueses Portugal torna-se
campeão do mundo de futebol!

Passo 11:
Os espanhóis ficam tão desmoralizados, que nem oferecem resistência
quando os mandamos para Marrocos.

Passo 12:
Unificamos finalmente a Península Ibérica sob a bandeira portuguesa.

Passo 13:
A dimensão extraordinária adquirida que une a Península e o Brasil,
torna-nos verdadeiros senhores do Atlântico. Colocamos portagens no
mar, principalmente para os barcos americanos, que são sujeitos a uma
sobretaxa tão elevada que nem o preço do petróleo os salva.

Passo 14:
Economicamente asfixiados eles tentam aterrorizar-nos com o Bin Laden,
mas a malta ameaça enviar-lhes o Sócrates e eles rendem-se
incondicionalmente. Está ultrapassada a crise!

Facilíssimo, hein ???

 

(recebido por mail, obrigado Fatinha)