Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o sítio do conguito

deambulações pela net, palavras, imagens, sons, coisas estranhas... enfim, eu.

Desde há 2 anos que faço umas "fichinhas" no final das catequeses (2º e 3º ano). Servem de revisão e muitas vezes de trabalhos de casa.

Os objectivos passam por motivar os miúdos e acima de tudo envolver os pais na catequese, pondo-os a trabalhar com eles.


No início não funcionava muito bem pois a maioria dos pequenos apenas abria o catecismo e o caderno uma vez por semana: na catequese.
Contudo, com alguns avisos, um teste no final do ano passado e vistorias frequentes aos cadernos consegui que a grande maioria tenha as actividades finais feitas e na maior parte das vezes com a ajuda dos pais.

Para me ajudar nestas fichas usei um CD com actividades que me foi fornecido num encontro de catequistas em Braga, não sei que é o seu autor, mas estou-lhe imensamente grato pois é um recurso excepcional. Algumas imagens também vêm de um CD muito interessante: "Desenhoteca Salesiana".

Deixo-vos aqui as actividades para o 2º ano e algumas das que fiz para o 3º ano.
Bom proveito!

Este é um exemplo que algumas escolas não estão a dormir e que o pessoal da 5 de Outubro sabe mandar as suas "postas de pescada", mas criar condições para as executar, isso não...

Uma Proposta e uma deliberação unânime de um conselho pedagógico a que me orgulharia de pertencer

"Considerando:

a. Que número 1 do artigo 34º do Decreto Regulamentar nº 2/2008, de 10 de Janeiro, estabelece que as escolas têm 20 dias úteis - isto é, até 11 de Fevereiro - para elaborar e aprovar, em Conselho Pedagógico, os instrumentos de registo de avaliação de desempenho dos professores, tendo em conta as recomendações que forem formuladas pelo Conselho Científico para a Avaliação de Professores, nos termos do nº 2 do artigo 6º do mesmo diploma;

b. Que foi aprovado, em 12 de Dezembro de 2007, o decreto regulamentar que define a composição do referido Conselho Científico, cuja publicação ainda se aguarda, e que, até esta data, não foram disponibilizadas as recomendações que permitam realizar o trabalho definido no ponto anterior;

c. Que, nos termos do mesmo artigo 34º, também até 11 de Fevereiro, o Conselho Pedagógico tem de rever o projecto educativo e o plano anual de actividades de modo a definir objectivos e metas, enquanto o presidente do Conselho Executivo elabora os indicadores de medida que, em conjunto, constituem as referências da avaliação de desempenho dos professores;

d. Que, eventualmente, os Conselhos de Turma, devem rever, também até 11 de Fevereiro, os objectivos fixados nos projectos curriculares de turma, a fim de dar cumprimento ao disposto no nº 2 do artigo 8º do Decreto Regulamentar nº 2/2008;

e. Que, nos termos do nº 2 do artigo 13º deste Decreto Regulamentar, os objectivos e metas referidos devem ser considerados pela comissão de coordenação da avaliação de desempenho, a criar no âmbito do Conselho Pedagógico, para o estabelecimento de directivas visando uma aplicação objectiva e harmónica do sistema de avaliação;

f. Que, as referências definidas nas alíneas c) e d), bem como as directivas da aliena e), são imprescindíveis para verificar até que ponto e de que modo os avaliados atingem os objectivos individuais a que se propõem, os quais, nos termos do 2 do artigo 34º do Decreto Regulamentar citado no ponto 1, devem ser elaborados, até 25 de Fevereiro, por cada professor e acordados com os avaliadores (coordenador de departamento curricular e presidente do conselho executivo);

g. Que ainda se aguarda pela publicação das grelhas de avaliação previstas no artigo 20º do Decreto Regulamentar nº 2/2008, as quais carecem de desenvolvimento pelas escolas para definição de descritores dos níveis de desempenho;

h. Que se aguarda a publicação de um despacho que permita a delegação de competências de observação de aulas por parte de outros professores titulares, nos termos dos números 2 e 3 do artigo 12º do Decreto Regulamentar nº 2/2008;

i. Que, ainda neste ano lectivo, o presidente do Conselho Executivo tem de calendarizar, com a obrigatória implicação de cada professor e do coordenador de departamento curricular, a observação de duas aulas, correspondendo cada uma a uma unidade didáctica diferenciada, o que face aos pontos anteriores, irá ocorrer no 3º período;

j. Que, em consequência dos pontos anteriores, a melhoria das aprendizagens e dos resultados escolares dos alunos vai passar, inevitavelmente, para segundo plano, uma vez que o tempo disponível dos coordenadores de departamento curricular, do presidente do Conselho Executivo e dos professores vai ser usado para a concepção e desenvolvimento do processo de avaliação de desempenho;


Propõe-se o seguinte:

1) Que o Conselho Pedagógico e o Conselho Executivo proponham ao Ministério da Educação, através da Direcção Regional de Educação do Alentejo, que seja adiada até ao final do presente ano lectivo a realização das acções previstas no 1 do artigo 34º do Decreto Regulamentar nº 2/2008, de 10 de Janeiro;
2) Que as acções previstas no 2 do artigo 34º do Decreto Regulamentar nº 2/2008, de 10 de Janeiro, sejam realizadas até 31 de Outubro de 2008;
3) Que a calendarização da observação de aulas e o desenvolvimento do processo de avaliação de desempenho ocorram a partir de Setembro de 2008.


Esta proposta foi apresentada pelo Coordenador do Departamento de Ciências Sociais e Humanas na reunião extraordinária do Conselho Pedagógico, realizada no dia 17 de Janeiro de 2008. Após discussão, a proposta foi aprovada por unanimidade."


 

Fonte: Terrear

18 Jan, 2008

la pedrera

La Pedrera

Barcelona é a cidade dos artistas, dos jovens e de ... Gaudi. A Casa Milà é um exemplo perfeito da genialidade deste arquitecto catalão. Aqui está um exemplo do terraço. Ao fundo, a Sagrada Família.

Barcelone is the city of artists, young people, and... Gaudi.
The Casa Milà is a perfect example of the catalan architect genius. This is a perfect example. At the bottom of the picture the "Sagrada Família".

Este é o !




O Geonext é um programa de matemática dinâmica que convida a usar novos caminhos para o ensino e aprendizagem da matemática em geral e da geometria em particular.


Principalmente virado para os conceitos geométricos, permite a construção de figuras geométricas de maneira interactiva entre os alunos e até entre os professores e os alunos.

 

Pode ser usado desde a exploração de conceitos básicos de geometria do 1º ciclo até à resolução de complexos gráficos de funções do ensino secundário.


Para usar o Geonext devemos ter o "Java™ 2 Runtime Environment" instalado no computador. O facto de "correr" atrvés do Java, permite que se possa correr este programa através de uma página na Internet


Este software, nascido na Alemanha, já conta com uma tradução para português (do Brasil) e está disponível para as 3 principais plataformas informáticas (Windows, Mac OS X e Linux).


Publicado através da licença GNU, é, como todos os programas abordados neste blogue , gratuito.


----

Confesso que não tive paciência para aturar o tio Jobs durante os 90 minutos.
Aqui fica um resumo de 60 segundos da apresentação:



Interessante, interessante foi o disco externo com ligação wireless, o resto dispenso.

Ah, já me esquecia: este é mais um (video) poscast com muita pinta: o "Mahalo Daily". Vão clicando no botão para ler mais e vão vendo os episódios anteriores.

Já está disponível na Internet a petição que procura fazer ver os senhores da 5 de Outubro que os professores, apesar de atolados em trabalho, não querem este novo "modelo" de gestão educativa e muito menos que ele seja aprovado sem uma discussão séria.

É certo que a "santinha da 5 de Outubro" bem gostaria que isto passasse sem "grandes ondas".
Vejam o timming do período de "discussão pública": é lançado em véspera de fim-de-semana prolongado e, quando as aulas recomeçam, publicam alterações estruturais ao regime de avaliação e sinalização dos alunos com Necessidades Educativas Especiais e ao regime de avaliação dos docentes.
Será que assim é possível discutir publicamente? Vê-se debates na televisão? Lê-se alguma coisa nos jornais? Não, não, não!
Certamente que muitos professores e a vastíssima maioria da opinião pública nem sequer sabe o que se está a passar.
Vamos mudar isto. Já chega!

Eu assinei, e penso que TU também não deves deixar de assinar: