Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o sítio do conguito

deambulações pela net, palavras, imagens, sons, coisas estranhas... enfim, eu.

Ao fim do segundo dia de formação estou quase morto...

As sessões têm sido intensivas, mal dando tempo sequer para almoçar. Mas agora já é possível ter uma ideia geral de como se irá processar a distribuição do Magalhães.

O processo de distribuição do Magalhães será faseado. Começa na próxima semana e deverá estar completo em Janeiro de 2009. As escolas que irão receber em primeiro lugar os computadores serão aquelas que já possuírem as infra-estruturas necessárias para a sua operacionalização: redes sem fios operacionais. Para a manutenção e criação de redes nas escolas do 1º Ciclo, o Ministério da Educação conta com a colaboração das autarquias.

 

Também na próxima semana iniciar-se-á o processo de venda do Magalhães ao público geral (Nas FNAC's). Contudo este equipamento não terá o mesmo software que a versão para o 1º Ciclo. Além disso será consideravelmente mais cara: cerca de 290 euros.

 

Um outro aspecto importante que virá com o Magalhães será a consequente formação para pais e professores. No fundo este encontro/apresentação no Porto serviu para preparar os coordenadores TIC para isso mesmo. Os Coordenadores TIC da zona centro e Sul que se preparem pois em breve irão receber as convocatórias para as suas formações.

 

O Magalhães não está associado a nenhum contrato de ligação à internet. A ligação à rede depende da escola e da possível ligação em casa. Está a ser pensada um protocolo de forma a que o acesso à Internet para os alunos, seja financiado, contudo ainda não é certo.

 

O Magalhães trará uma enorme revolução à sala de aulas do primeiro ciclo não só pelas potencialidades que traz para os alunos mas também pelas mudanças de estratégias de trabalho que trará aos professores e encarregados de educação.

De facto este parece ser um dos factores que mais fará mexer as pessoas à volta desta pequena máquina. Dezenas de horas de formação e preparação para professores e encarregados de educação serão necessárias para que o projecto sequer arranque.

 

Apesar de o computador contar com um conjunto de software bastante alargado de software previamente instalado, quer no Windows, quer no Caixa Mágica, penso que há muito trabalho a fazer na área da formação aos professores e dos pais.

Mais uma tarefa para o Coordenador TIC.

 

Há que vencer as dificuldades e os medos e ver o Magalhães cada vez mais como uma ferramenta de produtividade, aprendizagem e melhoramento na sala de aulas.

 

Bem , vou para a cama que estou estourado. Nos próximos dias vou publicando mais algumas novidades sobre o Magalhães.

______

P.S. Não, não trouxe um para casa. Eu bem queria, mas...

P.P.S. Meninos do 2º Ciclo, aguardem que haverá novidades para vocês muito em breve...

Agora sim, posso dar informações de carácter oficial já que tive um (na verdade 4) nas mãos durante o primeiro dia da sessão de apresentação.

 

O Magalhães é o computador de baixo custo dirigido a todas as crianças que frequentam o 1º Ciclo do Ensino Básico oficial em Portugal.

Produzido a partir do segundo modelo do Classmate PC da Intel, a máquina tem as seguintes características:

Processador: Intel ULV 900Mhz;
Memória RAM: 1 GB;
Armazenamento: Disco Rígido de 30 GB;
Ecrã de 9’’ (22 cm);
Câmara Web | 2 Colunas de som , Microfone incorporado e entradas para auscultadores e microfone externo | 2 portas USB | Entrada para cartões de memória SD
Placas de rede Wireless (sem fios) e Ethernet (cabo);
Bateria: 3 células (3 horas)
Sistema Operativo: Windows XP e Linux Caixa Mágica (dual boot);
Resistente ao choque e a líquidos;


Para adquirir o computador basta proceder a um pagamento, dependendo do Escalão da Acção Social Escolar.

Os alunos com Escalão A têm o computador gratuitamente; os alunos com Escalão B pagam  20€ e os alunos sem escalão pagam 50€. Após o pagamento o computador reverte definitivamente para o aluno. Que o poderá usar na escola e em casa.

Na escola-sede do Agrupamento, a partir do mês de Setembro de 2008, será feita a relação dos alunos interessados em adquirir o computador. Quando os computadores chegarem, a escola fará a distribuição dos mesmos pelos alunos.

 Todos os programas encontram-se traduzidos em português europeu. Há uma grande variedade de programas instalados, uns produzidos pela INTEL, outros pela Microsoft e muitos de produção nacional.

O software incluído no computador varia, como seria de esperar com o sistema operativo.

O Windows permite um acesso duplo ao computador: uma versão normal do Windows XP Professional e uma versão preparada para as crianças, principalmente as mais novas que ainda não sabem ler e escrever.

 

Windows XP:

Produtividade:

Microsoft Office 2007 (Word, Excel e Powerpoint) | Avast Antivírus |  Programas de desenho e edição de imagem

Referência:

Diciopédia | Acesso à edição online da Encarta

Iniciação ao Inglês:
English is fun (DGIDC) | Mingoville ( acesso online)
Matemática:
Clicmat (DGIDC) | Eu sei (ESE de Santarem)
Língua Portuguesa:
A cidade do faz de caso
Ciências:
À descoberta do ambiente
Multidisciplinar:
Gcompiz | Childsplay | Microsoft Learning Essentials (específico para o 1º Ciclo)
Administração:
Classroom Management (INTEL) | Controlo Parental

 

A versão Linux está preparada, como os actuais netbooks, com um ambiente de trabalho com um conjunto de ícones bem grandes que levam o utilizador para os principais programas a utilizar. Ainda não testei a fundo o Caixa Mágica mas já se pode ver uma série de programas instalados.

Linux Caixa Mágica:

Open Office

Firefox

Gcompiz

Pacote de software educativo e de apoio ao estudo

 

Relativamente ao acesso à internet, o Magalhães não implica a adesão a nenhum pacote de internet.

O Ministério da Educação irá contactar as autarquias com vista a estas "patrocinarem" o acesso à internet móvel ou fixa nos mesmo moldes do e-escolas. Também deverá ser da responsabilidade das autarquias equipar todas as salas de aulas com acesso sem fios à internet. Contudo, tudo isto está dependente da vontade das Câmara Municiais.

 

Nos próximos dias farei uma análise mais aprofundada ao Magalhães quer a nível de hardware quer a nível de software.

____

Actualização: erradamente coloquei que tinha 512 MB de memória RAM, na verdade tem 1 GB.

16 Set, 2008

Open DNS

Sempre que usamos a internet estamos a usar o DNS (Domain Name System - Sistema de Nomes de Domínios). De uma forma muito simplista, o DNS é o sistema que traduz os endereços que nós colocamos pelo código numérico (IP) referente ao computador onde está alojado o servidor em questão. Podem imaginá-lo como uma gigantesca edição das páginas amarelas que sabe o endereço de toda a gente.

Por exemplo, se escreverem na barra de endereço 213.13.146.140 ou www.sapo.pt, irão ter ao mesmo sítio: à página do SAPO.

 

Existem cerca de 12 servidores DNS principais em todo o mundo. Se eles falhassem, não haveria internet. Claro que estes são apoiados por centenas de outros (secundários) espalhados por todo o mundo.

Os principais fornecedores de acesso à internet também têm serviços de DNS e normalmente configuram os routers dos clientes para os usarem. Só que muitas vezes esses servidores não são os mais seguros e até já me aconteceu ver a minha ligação a ser "desviada" para uma página de erro do meu fornecedor de acesso à Internet. Isso não é nada bom pois não temos controlo sob a nossa navegação.

 

Há uns anos, descobri então o OpenDNS.

O Open DNS faz o que todos os servidores de DNS fazem e mais algumas coisas. A ver:

- A navegação é mais rápida.

- É possível definir critérios de utilização como páginas ou conteúdos "proibidos" (óptimo para os miúdos lá em casa).

- É possível receber relatórios acerca da utilização da Internet por todos os computadores da rede.

- Podemos "controlar" mais de uma dezena de redes.

- É grátis!

 

A única diferença que notamos são um blocos de publicidade que aparecem sempre que fazemos pesquisas. Algo a que já estamos habituados com o Google.

 

Para instalar basta mudar o endereço do nosso servidor de DNS pelo endereço do OpenDNS.

Isso pode ser feito em cada computador no Painel de Controlo -> Propriedades da rede -> Propriedades do protocolo TCP-IP -> Geral (no Windows XP ou Vista); ou em Preferências do Sistema -> Rede -> Dispositivo de rede -> Avançadas -> DNS (no Mac OS 10.5). Mas será mais simples se for feito no próprio router. Aí basta fazer a operação uma vez que esta fica disponível para todos os computadores da rede.

 

Para mais informações consultem a página do projecto em www.opendns.com.

Já agora os endereços dos "nemeservers" principal e secundários, repectivamente, do OpenDNS são 208.67.222.222 e 208.67.220.220.