Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o sítio do conguito

deambulações pela net, palavras, imagens, sons, coisas estranhas... enfim, eu.

Fazê-lo parado fortalece a coluna,

de barriga para baixo estimula a circulação do sangue,

de barriga para cima é mais agradável,

fazê-lo sozinho é enriquecedor, mas egoísta,

em grupo pode ser divertido,

no w.c. é muito digestivo,

no automóvel pode ser perigoso…

Fazê-lo com frequência desenvolve a imaginação,

a dois, enriquece o conhecimento,

de joelhos, torna-se doloroso…

 

Enfim, sobre a mesa ou sobre ao secretária,

antes de comer ou à sobremesa,

sobre a cama ou numa rede,

despidos ou vestidos,

na relva ou sobre o tapete,

com música ou em silêncio,

entre lençóis ou no roupeiro:

Fazê-lo é sempre um acto de amor e de enriquecimento

Não importa a idade, nem a raça, nem o credo, nem o sexo, nem a posição económica...

 

LER É UM PRAZER!

 

Tás a pensar que era o quê??? eh!eh!

 

[via Helena]

08 Mar, 2010

gravada a ferro

A fotografia tem aquela característica de congelar numa imagem um momento, uma expressão ou mesmo um sentimento.

 

Hoje, quando estava a ver mais uma sequência de fotos do Captured, desta vez sobre o trabalho na Índia, uma dela (a sexta) ficou-me gravada.

 

 

A imagem, como podem ver, mostra um grupo de crianças agarradas às pedras da obra onde os seus pais estão a trabalhar. Ali toda a família trabalha para ganhar o seu sustento, desde os mais pequenos aos mais velhos.

 

Mas o mais impressionante parece ser a naturalidade com que as crianças assumem os instrumentos de trabalho, a maioria deles desconhecidos aos nossos jovens. É uma infância roubada, um tempo perdido.

 

Mas infelizmente eu só penso: "Porra, os putos do CEF é que deviam estar ali. A ver o que a vida custa"...