Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o sítio do conguito

deambulações pela net, palavras, imagens, sons, coisas estranhas... enfim, eu.

Comecei por partilhar este artigo apenas no Twitter e Facebook, contudo a lucidez e a forma como parece desconstruir todo o discurso político tornam obrigatória a partilha aqui no blogue.

O Paulo Guinote voltou de férias como já não o via lia há muito tempo! Genial!

Vamos Lá Pensar Nisto De Outra Maneira

"Falo do encerramento das escolas, da abertura dos Caixotes Escolares e da criação dos mega-agrupamentos. Pensemos antes assim: será que encerrar escolas e mega-agrupar permite mesmo muitas poupanças?

Eu acho que permite algumas, mas de modo nenhum algo que seja relevante em termos de défice, em especial se tomarmos em linha de conta os custos acrescidos com os transportes escolares, eventualmente com a alimentação por via da Acção Social Escolar e diversos outros etc.

Porque não pensamos antes assim: estas medidas são necessárias para que, por via do investimento nas obras em Centros Escolares e Escolas Secundárias, se continuem a absorver fundos comunitários do QREN, empregar transitoria e precariamente uns milhares de trabalhadores, impedindo o descalabro nos índices de desemprego por um par de anos (até 2013, no máximo) e assim tornar a Educação como que uma espécie de pequena almofada que atenua o maior estrondo da crise em que vivemos.

No fundo, o que está em causa é a necessidade de, numa adulteração minimalista dokeynesianismo do New Dealmanter o investimento público no sector das obras (que já sabemos por via das autoestradas cavaquistas e expos guterristas e estádios do bloco central ser um investimento de consumo quase imediato e sem dividendos para a economia futura) e assim satisfazer algumas clientelas no sector empresarial e dar emprego pouco qualificado a alguma gente. Resumindo: o modelo jardinesco de desenvolvimento.

  • Na verdade não são as pequenas escolas que necessitam de fechar por razões económicas directas: são os Centros Escolares que necessitam ser construídos para aplicar verbas comunitárias e gerar indirectamente emprego e receita fiscal.
  • Na verdade não são os mega-agrupamentos que permitem grandes poupanças na gestão: é a Parque Escolar que assim alarga a sua área de influência sobre mais umas dezenas de estabelecimentos de ensino, entrando no mercado das EB2/3.

Realmente a nossa ingenuidade tem sido enorme e o ME tem razão: fechar escolas não é uma medida economicista e talvez até seja uma medida que, na sua análise mais simples, esteja longe de ser economicamente muito vantajosa. Construir e abrir novas escolas de grandes dimensões é que é uma medida com interesse económico.

E de certa forma, as Novas Oportunidades também têm uma lógica semelhante, ao gastarem grande parte das suas verbas numa rede administrativa e burocrática de certificação que cria algum emprego de consumo rápido até 2013.

E neste caso a Educação é o motor da Economia não pela qualificação e formação da população, mas porque permite a continuação de uma estratégia de IBM (Introdução aos Baldes de Massa) para muitos dos ex-alunos.

Em 2013, esgotadas as verbas do QREN, logo se vê, o que interessa é manter isto com uma aparência de acção… porque as eleições, o mais tardar, são nessa altura… e o pior é o que virá a seguir…"

 

São professores e cidadãos destes e com esta fibra que fazem falta a Portugal!

25 Ago, 2010

Dimensões

Algumas pessoas dizem que o tamanho é relativo, outras dizem que o tamanho não importa...

Mas no Dimensions ele ganha uma importância nunca antes vista!

 

O Dimensions é um projecto da BBC, executado pela empresa BERG, que procura colocar em perspectiva a dimensão de alguns acontecimentos, locais e até dispositivos criados pelo homem.

 

O sítio funciona de forma muito simples. Primeiro escolhemos o que queremos comparar: acontecimentos recentes ou antigos, desastres ambientais, cidades antigas, objectos e até satélites espaciais. Depois é só escolher uma localização no mapa. O resultado é um novo mapa onde o objecto de comparação aparece sobreposto. Do lado direito até aparece um explicação do que estamos a observar e ligações para sabermos mais.

 

É uma excelente ferramenta para nos dar novas perspectivas. E um recurso muito interessante para as aulas e para nos fazer pensar.

É uma pena apenas estar disponível em inglês.

 

Mesmo assim, experimentem!

______

Sítio: howbigreally.com

BBC

BERG

 

[descoberto via Meio Bit]

24 Ago, 2010

Carta Aberta

Uma palavra de agradecimento não chega para demonstrar todo o apreço que temos pelo Padre António Salvador Cabral.

Se a paróquia de Nine foi levada tão longe, a tantas terras, se nestes últimos anos evoluiu tanto, tudo isso se deve ao empenho do Padre Salvador Cabral.

Pe. Salvador Cabral

Quando ele chegou à nossa paróquia, em meados dos anos noventa, iniciou um processo de organização e melhoria que durante muitos anos serão visíveis por todos aqueles que vivem e passam pela nossa paróquia.
Muitas organizações da nossa paróquia e dos arredores devem a sua criação e existência ao Padre Salvador Cabral e ao seu esforço e dedicação. O Agrupamento de Escuteiros de Nine, o Grupo de Jovens, os Catequistas, a Conferência Vicentina de Nine e o Grupo do Salão-Convívio dos Idosos são exemplos disso mesmo.

O gosto pela protecção do ambiente e da natureza nunca foi esquecido e frequentemente éramos lembrados da protecção ambiental nas suas homilias e vimos o seu meritório empenho ambiental na criação da associação local “Amigos do Rio Este”. As missas campais e os festivais musicais no rio Este também são um excelente exemplo da educação ambiental que quis fazer.
As organizações da paróquia que já existiam como as confrarias e a comissão fabriqueira em muito devem ao trabalho incansável do Sr. Padre. Foi graças a ele que elas se mantiveram como organizações de referência na paróquia.  

Duas grandes paixões, para além do serviço ao próximo, identificamos no nosso saudoso pároco: a escrita e as artes. Como exemplo da primeira temos as dezenas de livros escritos, as dezenas de revistas editadas (a grande maioria sobre a nossa paróquia) e as centenas de boletins paroquiais escritos ao longo da sua paroquialidade em Nine. Como exemplo da sua paixão pelas artes recordamos as incontáveis músicas escritas para os vários grupos corais da paróquia, as dezenas de registos musicais (cassetes e CDs) editados e os festivais organizados. De facto, quando chegou a Nine apenas havia um grupo coral organizado, agora há uma mão cheia deles (Grupo Coral Litúrgico, Grupo Coral Bíblico, Grupo Coral Infantil, Grupo Coral dos Escuteiros e o Grupo Coral do Grupo de Jovens), sem contar com outros grupos que apoiou como o do Rancho Folclórico.

O Sr. Padre António Salvador Cabral sempre foi um fervoroso lutador pelas liberdades do indivíduo, em particular pela liberdade de expressão. Ele próprio sempre manifestou a sua opinião sobre os assuntos mais pertinentes e importantes. Escreveu livros, concedeu entrevistas a jornais, revistas, rádios e televisões e sempre sem “papas na língua”. Tal facto trouxe-lhe alguns dissabores, em particular as suas opiniões políticas. Contudo, achamos que sempre soube “separar as águas”, deixando a religião para os crentes e a política para os homens.
Quando assumiu a nossa paróquia, o Padre Cabral iniciou um processo de dinamização dos paroquianos como há muito não se via. Organizou semanas de reflexão bíblica, de formação para leigos e para os ministros da comunhão na paróquia e em muitas terras vizinhas. Graças ao seu trabalho e dedicação muitos de nós podemos dizer que nos sentimos mais participantes e membros vivos da Igreja.

A doença veio roubar-nos de forma crua e dura a sua presença entre nós, mas o trabalho que fez criou profundas raízes que não podem ser arrancadas dos nossos corações nem das gerações vindouras. Temos muita pena pela forma menos boa como foi conduzida a sua sentida substituição, mas garantimos que as suas sementes darão origens a árvores frutuosas cuidadas por aqueles que muito lhe têm a agradecer.

 

Muito ainda ficou por recordar e reconhecer, mas acreditamos que no seu coração e de todos aqueles que oram por si tais feitos não serão esquecidos.

 

[Publicado e em publicação em vários órgãos de comunicação social locais]

A Microsoft, através do dispositivo Kinect (anteriormente conhecido como "Projecto Natal") espera re-revolucionar a forma como interagimos com os jogos.

Este dispositivo é um conjunto de câmeras e microfones que "vêm e ouvem" o utilizador e este passa a ser o controlador do jogo.

Um dos mais antecipados jogos é o projecto "Milo".

Neste "jogo" não controlamos nenhuma personagem. Nós somos uma das personagens e temos de interagir com um rapaz-virtual de 11 anos.

Milo parece ser como qualquer criança de 11 anos com todas as suas dificuldades e potencialidades. Através de jogos, interações e mesmo de diálogos vamos ensinando e moldando Milo de forma a que este cresça e amadureça.

 

Um verdadeiro "tamagoshi" para o século 21!

22 Ago, 2010

viagens noturnas

Há uns tempos decidi experimentar documentar uma viagem de carro (curtinha, cerca de 30 minutos) através da técnica de timelapse com o iPhone.

Usei a aplicação TimeLapser e com uns fiozitos atei o iPhone à pala do carro. Lá para o fim da viagem fiquei sem bateria, mas ainda deu para aproveitar uns bons frames.

Pág. 1/2